Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

4 de mar de 2011

Deus Ganesha

Deus da Sabedoria

Ganesha é o primeiro Deus a ser reverenciado em todos os rituais Hindus. Está nas portas dos templos e casas protegendo as suas entradas. Ganesha é o Deus que remove todos os obstáculos, ele é o protetor de todos os seres. Ele também é o Deus do conhecimento. Ganesha representa o sábio, o homem em plenitude, e os meios de realização. Sua figura revela um significado profundo e necessita ser desdobrada.

Sobre sua origem
Ganesha é filho de Shiva e Parvati. Shiva é o Deus destruidor, que destrói para construir algo novo, motivo pelo qual muitos o chamam de "renovador" ou "transformador", vivia nas montanhas dos Himalayas e raramente visitava sua esposa Parvati. Shiva e Parvati abraçados são a representação do Tantra. Os Puranas dizem que a relação sexual durava milênios mas Shiva não ejaculava, tinha completo domínio (Vama Tantra), assim Shiva não tinha filhos. Parvati gostava de se preparar para receber Shiva, mas todos os guardiões falhavam quando se tratava de Shiva, assim Parvati resolveu ter o seu próprio filho e guardião; retirou de si o material e deu vida a criança, Ganesha aprendeu a lutar bravamente e se tornou o guardião de seus aposentos. Um dia Shiva chegou e quis entrar, Ganesha bloqueou sua entrada. Shiva não aceitou de ser impedido de entrar e ordenou que seus guardas lutassem, Ganesha venceu todo o seu exército então Shiva lutou até decapitar Ganesha. Parvati chorou muito e reivindicou que Shiva devolvesse a vida a seu filho , Shiva disse que ele não podia ser seu filho, realmente ele era somente filho de Parvati - a matéria mortal, assim Shiva ordenou que seu exército fossem para o norte e que trouxessem a primeira cabeça de um ser vivo que encontrassem; encontraram um elefante. Shiva colocou a cabeça de elefante sobre o corpo do menino e deu vida a ele. Parvati exigiu que Ganesha fosse o primeiro a ser reverenciado em todos os rituais. Ganesha passou a ser filho também de Shiva e se tornou um Deus.

 

Significado de sua origem

Como todas as lendas encerram dentro de si um significado maior, vamos desdobrar a simbologia da história de Ganesha. Primeiro conta os Puranas que Ganesha tem um corpo físico “criado” por Parvati, símbolo da matéria perecível, ou seja que é humano. Mostra que ele não conhece o pai - Shiva, a realidade Suprema. Quando Parvati solicita sua proteção ele a obedece incondicionalmente (cuida a matéria, é apegado a ela). Quando seu pai chega, luta com ele (não quer perder a individualidade) não o reconhece, mas luta com bravura, quer cumprir o seu dever. O pai admira sua coragem, mas não podendo deixá-lo vencer, corta a sua cabeça (ego, mente, arrogância) e ele morre. Parvati zangada com a morte do filho mostra a matéria não querendo perder seu “nome e forma”. Shiva coloca uma nova cabeça no filho que renasce pelas mãos de Shiva, nasce do supremo. Parvati ficando contente com as promessas de Shiva de que seu filho será reverenciado no início de todos os rituais e cerimônias e, antes de qualquer empreendimento mostra que a perda da individualidade é o ganho do absoluto, da plenitude. O sábio vence todos os desafios, luta com bravura, remove todos os obstáculos e depois morre, perde a cabeça para ganhar uma nova dada por Shiva, o absoluto.

 

Simbologia
Ganesha tem uma enorme cabeça de elefante, imensa para um corpo de menino indicando sua capacidade intelectual e a firme dedicação ao estudo das escrituras. Ganesha é o Sábio. Ganesha tem na fronte o Vibhuti e um pequeno tridente indicando que é filho de Shiva - o Senhor da disciplina e da aniquilação da ignorância, indica também, que o sábio tem sempre em mente o Ser Supremo.
As enormes orelhas e a cabeça de elefante representam os dois primeiros passos para a auto realização - “Sravanam”, escutar o ensinamento e “Mananam”, refletir sobre ele. A tromba representa “Viveka”, a capacidade de discriminação entre Nitya, o eterno e ilimitado, e Anitya, o não eterno. O intelecto do homem comum está sempre preso entre os pares de opostos (as presas), o Sábio não é mais afetado por esses pares de opostos (frio-calor, prazer-dor, alegria-tristeza etc.) tendo atingido um estado de equanimidade , representado por uma das presas quebrada. O Sábio nunca esquece sua verdadeira natureza (memória de elefante).
A barriga enorme representa sua capacidade de engolir, digerir e assimilar todos os obstáculos, assim como o ensinamento escutado. O ratinho que fica aos seus pés simboliza o Ego e seus desejos com sua voracidade e cobiça, frequentemente roubando mais do que pode comer e estocando mais do que pode lembrar. O Sábio tem o desejo sob total controle, por isso o ratinho olha para cima e aguarda sua permissão para comer os objetos dos sentidos. No dia de Ganesha é aconselhável não olhar para a lua, pois conta os puranas que a lua riu de Ganesha voando pelo céu em seu veículo o ratinho(corpo). A lua representa o ignorante rindo do sábio. Esta imagem representa o Sábio tentando passar sua sabedoria infinita através de seus equipamentos finitos(corpo e mente).

Ganesha possui quatro braços que são utilizados na ação de destruir os obstáculos:
A mão superior direita carrega uma machadinha - Ishvara na forma de Ganesha (senhor dos obstáculos) decepa os apegos aos objetos como fonte de felicidade e a falsa identificação com o corpo , elimina os obstáculos para que possamos ter uma mente tranquila e possibilitar o conhecimento.
A mão superior esquerda leva um laço e ou um lotus - Com o laço ele prende a atenção na verdade, na realidade suprema, ou seja no Eu absoluto. O Lotus é a natureza pura, absoluta e imaculada.
A mão inferior direita abençoa com Abhãya Mudrã - Estra mudrã abençoa com prosperidade e destemor. Frequentemente encontramos um Japa-mala, mostrando que esta prosperidade está na forma de Japa (repetição de um mantra) a mais eficaz técnica de preparação da mente.
A mão inferior esquerda oferece Modaka - Modaka é um doce de leite e arroz tostado que representa a satisfação, a plenitude que se alcança com um caminho de disciplina e auto conhecimento.

Ganesha é filho de Shiva e Parvati. É cultuado como deus da sabedoria, da superação dos obstáculos e da prosperidade. Sua ajuda deve ser solicitada na execução de qualquer projeto, especialmente naqueles de natureza intelectual, material ou profissional.
Ganesha também está associado à prudência, à diplomacia e ao poder. Arquetipicamente é representado como um homem de corpo robusto e cabeça de elefante. O corpo forte indica firmeza; a cabeça, sagacidade. Sua tromba simboliza o órgão genital masculino, associado à força, e sua boca representa o órgão genital feminino, vinculado à intuição. Dessa forma, Ganesha é a manifestação do equilíbrio perfeito, da interação da força masculina e feminina. Em geral aparece perto de um rato, animal associado ao falso amor, que são o apego e as ilusões, que impedem de enxergar a realidade com clareza.
Ganesha costuma ser representado com apenas duas mãos, mas também pode apresentar quatro, seis ou oito. Embora não seja uma divindade à qual os textos sagrados façam muitas referências, conquistou devotos no mundo inteiro. Na Índia não há praticamente uma casa, templo ou mosteiro em que sua imagem não ocupe lugar de destaque. Além disso, existe uma corrente do hinduísmo que faz de Ganesha objeto supremo de adoração e seus seguidores são chamados ganapatyas.
Essa divindade aparece em várias manifestações ou formas diferentes e cada qual exalta uma qualidade.

Mantras de Ganesha

1o mantra:

Om Gunapravanasaantushtaaya Namahá.
Para inspirar virtudes.

2o mantra:

Om Gunaikabhuvae Namahá.
Auto-respeito e auto-suficiência.

3o mantra:

Om Gunapoornaaya Namahá.
Tolerância.

4o mantra:

Om Gunavachhakra Samsaraaya Namahá.
Escapar da roda de reencarnação. (Sanssara)

5o mantra:

Om Gajjapatayae Namahá.
Conquistar o poder pessoal.

6o mantra:

Om Gajatratrae Namahá.
Compreender a natureza de tudo.

7o mantra:

Om Gajamaayaaya Namahá.
Destruir ilusões

8o mantra:

Om Gajahaetavae Namahá.
Meditar na transitoriedade da vida

9o mantra:

Om Gajasaetavae Namahá.
Ser justo.

10o mantra:

Om Gajadaityaghnae Namahá.
Destruir a ignorância.

11o mantra:

Om Gajapungavaaya Namahá.
Para a prudência.

12o mantra:

Om Garjito Ji Tadaityasavae Namahá.
Acalma a mente sempre obsessiva.
O efeito desse mantra é colocar sua mente em “obssessões” saudáveis como cuidar do corpo, estudar, ajudar o próximo, amar, etc.

13o mantra:

Om Gaanatattvavivaechakaaya Namahá.
Excelência musical.

14o mantra:

Om Gaanashlaghinae Namahá.
Conhecer a filosofia do som.

15o mantra:

Om Gaanaayattaaya Namahá.
Energia física.

16o mantra:

Om Gurubhujaaya Namahá.
Acalma o coração afetivamente.

17o mantra:

Om Gurupriyaaya Namahá.
Tolerância com o próximo e com você mesmo.

18o mantra:

Om Gurushreeaye Namahá
Energia.

19o mantra:

Om Garishthaaya Namahá.
Auto-estima.

20o mantra:

Om Gurukantayae Namahá.
Auto-aceitação.

21o mantra:

Om Guruputra Paritratrae Namahá.
Proteger as crianças.

22o mantra:

Om Guruputraarti Shamanaaya Namahá.
Harmonia familiar.

23o mantra:

Om Gauraaya Namahá.
Reconhecimento da sua iluminação.

24o mantra:

Om Govardhanaaya Namahá.
Alegria.

25o mantra:

Om Goshtaaya Namahá.
Para observar o silêncio que é tua essência.
26o mantra: Om Gatatraasaaya Namahá.
Libertar-se da fadiga.

27o mantra:

Om Gatajvaraaya Namahá.
Estimular a saúde.

28o mantra:

Om Gataaya Namahá.
Propiciar liberdade.

29o mantra:

Om Grahabhartrae Namahá.
Sair das ilusões.

30o mantra:

Om Gudaaya Namahá.
Tornar-se amoroso.

31o mantra:

Om Gudaakesha Sakhaaya Namahá.
Facilita e abençoa as práticas tântricas.

32o mantra:

Om Garvanudae Namahá.
Egocentrismo.

33o mantra:

Om Gurutantraaya Namahá.
Inspiração aos praticantes de yoga.

34o mantra:

Om Gataahitaaya Namahá.
Para saudar Ganesha, o auspicioso.

Estes são dois mantras de Ganesha que despertam o poder pessoal do praticante:

35º- Om Ganapatayê Namah;

36º-Om Sri Ganeschaya Namah;

fontes: www.yogalotus.com.br e Extraído do Espaço Luz Violeta

Nenhum comentário:

Postar um comentário