Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

20 de mar de 2011

Deusa Shait

(autoria desconhecida)

Dia de Shait é em 23 de março.
Deusa egípcia do Destino que acompanha todas as pessoas desde seu nascimento, observando as virtudes e vícios, os erros e suas realizações.
Shait é quem dá a sentença do julgamento final, após a avaliação da alma por Maat.
Sua sentença é definitiva, sendo baseada na observação contínua e escrupulosa da vida do falecido.
Comemoração de Maat, deusa egípcia da justiça e da verdade.
"Maat nasceu da pena de uma andorinha que se apaixonou por Ra (o Sol) e dele recebeu um raio fecundador.
Filha de Rá, Maat é a Deusa da justiça, do equilíbrio, da verdade e do senso da realidade.
Sem Maat, a criação divina (a Terra e seus habitantes) não poderia existir, tudo se afundaria no caos.
Suas características são: capacidade de observação, senso de justiça e sabedoria para criar harmonia à sua volta."
"
"Faze justiça enquanto durares sobre a Terra"
Símbolos: Velas brancas, essência e incenso de lótus ou olíbano, penas brancas ou penas de avestruz, falcão, águia;
Segundo a mitologia Egípcia é representada por uma mulher jovem portando em sua cabeça uma pluma.
Esposa de Thoth, o escriba dos deuses com cabeça de íbis.
Com sua pena da verdade ela pesava o coração dos mortos que chegassem ao seu Salão de Julgamento subterrâneo.
Ela colocava sua pluma num prato da balança e no prato oposto o coração do falecido.
Se os pratos ficassem em equilíbrio, o morto podia festejar com as divindades e os espíritos da morte.
Entretanto, se o coração fosse mais pesado, ele era devolvido para Ahemait (Deusa do Inferno, que é parte hipopótamo, parte leão, parte crocodilo) para ser devorado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário