Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

8 de mar de 2011

Algumas Deusas (K)

Texto traduzido pelo Google

clip_image001

KUAN YIN - Deusa da Compaixão

Deusa chinesa da Compaixão, cujo nome significa "aquela que ouve o choro do mundo". Kuan Yin estava disposta a manter sua forma humana, mesmo após atingir a iluminação por causa de sua profunda preocupação pela vida humana. Ela queria que todos os habitantes da terra ganhasse a iluminação também. Ela nunca se afastou de alguém que chorasse, não importa quantas vezes, ela era pura misericórdia e sabedoria. O cetro de lótus em sua mão direita contém o néctar da sabedoria. Kuan Yin,clip_image002 na foto ao lado, é mostrada com um panda, uma espécie em vias da extinção a menos que a Deusa da Compaixão intervém. Seus seguidores exercia compaixão para com todos os seres, não comiam carne de qualquer criatura e viviam em harmonia. Ela era muitas vezes retratada segurando um ramo de salgueiro acompanhado de Lung, o dragão celestial. Lung é uma criatura beneficente, trazendo chuvas para as culturas na primavera. Alguns diziam que a razão das fases da lua, era porque Lung engolia a lua lentamente. Uma crença budista diz que a água polvilhada com um ramo de salgueiro pode trazer a energia da purificação. Kuan Yin está segurando uma Kuang, na foto, que é um recipiente de vinho ritual.

clip_image001[4]

KYBELE

Kybele era a Deusa frígia da Terra, cujo culto se espalhou para a Grécia e depois em todo o Império Romano. Uma vez por ano, em 22 de março, uma procissão era realizada para comemorar a renovação da terra. Um pinheiro, simbolizando Átis, seu consorte ferido, era cortado, enfaixado com violetas e amarrados com fitas e levada na procissão. O pinheiro simbolizava a vida eterna; violetas teriam surgido quando o sangue de Átis tocou a terra (Kybele). A morte de Átis, representou o fim da estação de crescimento. Em 03 de abril era organizado um grande festival para celebrar os poderes regenerativos de Kybele como Grande Mãe, a Terra.

fonte: www.goddessmyths.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário