Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

11 de mar de 2011

Deus Freyr

Texto: Valdir Callegari


Freyr, Frei ou Freyr é filho de
Njord e irmão de Freyja, e está casado com a gigante Gerd.

Freyr, também é considerado como um dos nomes e uma das faces de Odin.
É um deus representado como belo e forte que comanda o tempo e a prosperidade, a alegria e a paz, é o deus chefe da agricultura.Ele é patrono da fertilidade, o soberano do país chamado Álflheimr, reino dos elfos da luz (ljósálfar), que são os responsáveis pelo crescimento da vegetação. O Skirnismál (“A Balada de Skirnir”) nos informa que Freyr é filho de Njörðr com a Deusa terra Nerthus, irmão portanto de Freyja. É portanto um deus dos Vanir. Seu cavalo ignora obstáculos, e a sua espada magica, forjada por anões, que brande move-se sozinha nos ares desferindo golpes mortais, mesmo se for perdida em algum combate.

Dono de (Skidbladnir), que é um navio tão grande que nele cabem todos os deuses, mas pode ser dobrado e guardado na sua algibeira. É uma das mais antigas divindades germânicas junto com Freyja e Njörðr, e seu nome significa “senhor".

É senhor de um javali de ouro chamado Gulinbursti, criação dos anões Brokk e Sindri, que conduz um carro como se fosse puxado por cavalos, e seu brilho reluz na noite.

                     Abaixo o desenho simbolo de Freyr

 

Freyr apesar de ser um deus pacifico, está destinado a lutar contraSurtur na batalha de Ragnarok. Nesta luta ele não estará com sua espada mágica, pois a deu para seu escudeiro, Skirnir.


Cultuação
Parece que ele inspirou particularmente devoção na
Suécia, como evidenciado por estátuas eróticas e amuletos, e pela tradição de procissões de carruagem no estilo de Nerthus, a deusa descrita por Tacitus em sua Germânia, de grande devoção desde a Idade do Bronze no Oeste Germânico. Na Islândia, Freyr era ocasionalmente chamado de Síagoð ("o deus sueco"). Ele era aparentemente popular também na própria Islândia, em Trondelag, e na Dinamarca.

O culto de Freyr deve ter alcançado a Noruega e a Islândia indo a Jutlândia (Dinamarca), em cujo lago central, o lago Stor (Störsjön), ficam as ilhas de Norderön e Frösön (ilha de Njörðr e ilha de Freyr respectivamente).

Nenhum comentário:

Postar um comentário