Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

27 de mar de 2011

Deusa Deméter

Texto: Lara Moncay

Deméter a mãe terra, era a soberana da natureza e protetora das crianças e jovens indefesos. Era responsável pelo amadurecimento anual do grão e, ao final do verão, o povo lhe rendia graças pela fartura que o solo havia lhes proporcionado. Ela regia os ciclos da natureza e de todas as coisas vivas. Presidia a gestação e o movimento da vida nova e abençoava todos os ritos do matrimônio como meio de perpetuação da natureza. Deméter é uma deusa matriarcal, a imagem do poder das entranhas da terra, o qual não necessita de nenhum reconhecimento espiritual dos céus.
Ela ensinou aos homens a arte de arar, plantar e colher e às mulheres como moer o trigo e fazer o pão. Deméter morava com a filha Perséfone, alheias aos conflitos e disputas terrenos, na mais completa harmonia. Entretanto, certo dia, essa vida tranquila e feliz foi violentamente alterada. Perséfone saiu para passear e não voltou mais. Angustiada Deméter procurou pela filha em todos os lugares, mas para seu espanto, Perséfone havia sumido sem deixar vestígios. Finalmente depois de anos de busca desesperada e muita tristeza, Deméter ficou sabendo o que acontecera à filha. Hades, o tenebroso senhor das trevas, havia se apaixonado por Perséfone e subira à superfície a superfície da terra em sua majestosa carruagem, puxada por dois imponentes cavalos negros e a raptara. Enfurecida Deméter ordenou que a terra secasse, recusando-se a lhe devolver a abundância, porque não conseguia aceitar as mudanças bruscas de sua vida. Mantinha-se irredutível embora Perséfone tivesse comido de boa vontade a romã e Hades a tratasse com todas as honras de Rainha. Nada a faria mudar e o mundo estava condenado a padecer por falta de alimentos. Finalmente, graças à intervenção do astuto e bondoso Hermes, chegaram a um acordo. Durante nove meses do ano Perséfone viveria com sua mãe, devendo retornar para o marido nos três últimos meses. Embora o acordo fosse mantido, Deméter nunca se conformou totalmente com a perda da filha e todos os anos, nos três meses em que Perséfone estaria ausente, a mãe terra chorava e se lamentava. As flores desapareciam, as folhas caíam das árvores e a terra esfriava não produzindo nada. Entretanto, todo o ano, ao regresso de Perséfone, inicia-se a primavera.

Nenhum comentário:

Postar um comentário