Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

19 de abr de 2011

Deus Alaunus

Wikipédia

Na religião galo-romana, Alaunus ou Alaunius é um deus gaulês do sol, de cura e de profecia. Seu nome é conhecido das inscrições encontradas em Lurs, Alpes-de-Haute-Provencena France sulista (na forma dativa Αλα[υ]νειουι) e em Mannheim na Alemanha ocidental. Na última inscrição, Alaunus é usado como um epíteto de Genius Mercúrio.[1]

Na tentativa de averiguar a etimologia deste teônimo, é importante ter em mente que este não costuma referir-se apenas a deidades, mas também a um topônimo e um hidrônimo. Nos tempos romanos, em sua forma feminina, por exemplo, era costume referir-se ao Valognes romano na Normandia, a Maryport romana na Cumbria, a Alcester romana em Warwickshire, ao Watercrook romano em Natland na Cumbria, ao Low Learchild romano em Devil's Causeway em Northumberland, a Ardoch em Perthshire e ao rio Aln em Northumberland. A coleção de referentes para esta palavra, junto às alternâncias masculinas e femininas que expõe, sugere que a palavra é um adjetivo, com um sufixo *-n- de oração adjetiva usado para formar adjetivos em muitas línguas indo-europeias Centum (cf. -n- em cani-n-us, latim, ‘canino', em cani-s do latim, ‘cão’, em roma-n-us do latim, em Roma do latim, ‘Roma’; em wood-en vindo de wood e em ash-en vindo de ash, ambos do inglês moderno).

O galês tem alaw, ‘harmonia, melodia’, e o nome pode representar um adjetivo significando 'melodioso, harmonioso' derivado do precursor romano-britânico desta palavra.

Examinando as línguas indo-europeias, torna-se aparente que o nome poderia ser cognato com fealu, do inglês antigo, ‘pálido, desbotado, escuro, amarelado-marrom’, de fallow do inglês moderno, `pardo´, de *falwaz do proto-germânico, ser cognato com fölr do nórdico antigo, com valu do médio-frâncico, com falb do alemão, com *polwos proto-indo-europeu, significando ‘escuro-colorido, cinza’, cf. plavu do antigo eslavo eclesiástico, com palvas do lituano, significando ‘descorado’, com polios do grego, com polus do latim, 'branco brilhante', com llwyd do galês ‘cinza’ e com liath do irlandês do proto-céltico *φleito-s, com pallere do latim, ‘estar pálido’, e daí também cognato com palavras como ‘pombo’, em grego peleia, compalumbes do latim e com poalis em prussiano antigo.

Da mesma forma, o proto-céltico teve *alamo- ‘tesouro, bem’ [2] e, se a alternância Alaunus ~ Alauna representa a pronúncia gaulesa e a romana-britânica de um adjetivo derivado *alamo-n-o- (tesouro-ADJ.SUF-GEN-), esta pode ter trazido o sentido de ‘rico, opulento, fecundo, etc.’

Nenhum comentário:

Postar um comentário