Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

16 de abr de 2011

Deuses da Natureza e Deuses Domésticos

Por Daniel Silva (2007); fonte: Templo do Conhecimentos

De forma diferente da maioria dos povos antigos, os Eslavos tinham uma serie de “Deuses”, (talvez chamados com mais propriedade de espíritos) da natureza e deusas que ajudava a dona de casa em suas tarefas.

Kikimora: Era um Deusa bondosa, auxiliando a dona de casa em suas tarefas, principalmente a de varrer a casa, lavar as roupas, etc. Mas somente se ela fosse trabalhadeira e não se aproveitasse da presença da Deusa. Nesse caso Kikimora punia a preguiçosa armando as maiores confusões na cozinha, fazendo também cócegas á noite nas crianças, impedindo-as de dormir. Para endireitar as coisas á dona de casa devia passar a ser diligente, fazendo também uma infusão de folhas de samambaia com as quais untaria todas as panelas da casa.

Dugnai: Deusa que auxiliava na cozinha, garantindo que as iguarias saiam saborosas, em especial o pão.

Dvorovoi: Deus do quintal, auxiliava o dono da propriedade em tarefas como o corte de lenha, com a limpeza dos estábulos,o cuidado com os animais, árvores, etc. Odiava animais de pelo branco, especialmente gatos e cavalos.

Leshy: era um espírito da floresta, podendo ser gigantesco ou minúsculo, mas sempre sendo reconhecido pela sua barba verde. Costumava indicar a direção errada para os viajantes, para fazê-los se perder. Viajantes espertos contudo diziam que era fácil frustrá-lo, bastando vestir as roupas ao contrario ou seguir direção oposta a que ele indicava.

Vodyanoi: Espíritos aquáticos masculinos, moravam em gigantescos palácios feitos de cristal e partes de navios afundados. Á noite costumavam sair para matar viajantes incautos, arrastando-os para as profundezas dos lagos, onde eles se afogavam e se transformavam em escravos. Os Vodyanoi pareciam sapos gigantes, de pele verde, com força descomunal e olhar sinistro.

Poleviks: Eram os espíritos malignos dos campos, costumando-se se esconder entre a grama para assustar e matar viajantes e transeuntes desavisados ou bêbados. Também podiam roubar as crianças e largá-las bem no meio das plantações dos campos. Seu cabelo parecia grama, e seu corpo tinha a cor da terra. Uma oferenda de dois ovos de galinha e um galo, colocados a beira das glebas podiam mantê-los afastados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário