Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

18 de abr de 2011

Mitologia Etrusca

Fonte: Wikipédia

A civilização etrusca era uma raça de origem desconhecida do norte da península Itálica que esteve diretamente ligada com a história de Roma e que seria, mais tarde, integrada nas fundações do Império Romano. Muitas das suas divindades listadas abaixo foram também adaptadas para a mitologia romana.

Dado que não existem fontes literárias etruscas, mas apenas dois pequenos e incompletos textos, e apenas um modesto número de inscrições, a língua etrusca não é completamente compreendida. Os trabalhos de autores Latinos sobre os sobreviventes religiosos etruscos teriam preenchido essa lacuna se, porventura, tivessem sobrevivido.

Qualquer discussão atual sobre a mitologia etrusca deve ser considerada na base da publicação Prenestina cistae:, cerca de duas dúzias de fascículos do Corpus Speculorum Etruscorum que surgiram recentemente. Mais especificamente, a mitologia etrusca e o culto de figuras surgem referidos no Lexicon Iconographicum Mythologiae Classicae. As inscrições etruscas receberam, no entanto, maior destaque numa recente apresentação de Helmut Rix, Etruskische Texte.

A primeira tríade incluiria Tinia, Uni e Menrva.

 

Figuras da mitologia etrusca

 

Aita

Aita ou Eita é o nome etrusco equivalente ao deus grego Hades, o administrador do mundo subterrâneo ou inferno.[1] Essa divindade foi retratada poucas vezes em pinturas encontradas em algumas tumbas etruscas, como a Tumba de Golini, em Orvieto, e a Tumba de Orcus II, em Tarquinia.[2] Aita é retratado, também, com sua esposa Phersipnai, a equivalente etrusca para Perséfone.

Ani

Ani, na mitologia etrusca, era o deus do céu, residindo na parte mais elevada dos céus e, algumas vezes, retratado com dois rostos, possivelmente identificado com o deus acadiano Anue a divindade romana Jano.[1][2]

Februus

Februus é o deus da morte e da purificação na mitologia etrusca. Ele inspirou a palavra "februarius", que em latim significa fevereiro, o 2º mês do calendário gregoriano.

Ferônia

Feronia é uma deusa da mitologia romana.

Hércules

Hércules (em latim: Hercules) era o nome em latim dado pelos antigos romanos ao herói da mitologia grega Héracles, filho de Zeus e da mortal Alcmena. As antigas fontes romanas indicam que o herói grego "importado" veio substituir um antigo pastor mitológico chamado pelos povos da Itália de Recaranus ou Garanus, e que era famoso por sua força. Enquanto o mito de Hércules incorporou muito da iconografia e da própria mitologia do personagem grego, ele também tinha um número de características e lendas que eram marcadamente romanas

Mantus

Mantus era um deus etrusco do inferno, segundo a mitologia Romana. Mantus também é conhecido por ser um demônio que usava jogos de azar para atrair suas vítimas.

Menrva

Menrva era a deusa etrusca das artes e da guerra. Nascida da cabeça de Tinia, outro deus etrusco, acredita-se que os romanos basearam-se nela para descrever a deusa Minerva.

Taitle

Dédalo (em grego: Δαίδαλος, transl. Daídalos; em latim: Daedalos; em etrusco: Taitale) é um personagem da mitologia grega, natural de Atenas e descendente de Erecteu[1].

Tarcão

Tarcão ou Tarconte (Τάρχωνας em língua grega e Tarchun-us em língua etrusca) é um herói da mitologia etrusca, da mitologia grega e da mitologia romana. Na Eneida do poeta latinoVirgílio é o chefe de um exército que se une ao troiano Eneias na guerra contra Mezêncio e Turno.

É irmão de Tirreno e filho de Télefo, rei da Mísia, região que fazia fronteira com a Trôade. Segundo o historiador grego Heródoto, conduziu com o irmão uma migração da Mísia para aEtrúria, por causa de uma longa fome que assolou a sua terra. Metade da população foi sorteada para ir embora, para encontrar terras mais férteis e aliviar os compatriotas que permaneceram.

Dionísio de Halicarnasso, historiador grego do século I a.C., defende a tese de que Tarcão nasceu na Etrúria, região da Itália. É atribuída a ele a fundação de todas as cidades da federação etrusca, a principal das quais foi Tarquinia (Tarchu-na em língua etrusca), à qual deu o seu nome.

Na Eneida, Tarcão é apresentado por Virgílio como chefe dos etruscos (8, 506). É procurado por Eneias, por indicação de Evandro, rei árcade estabelecido na cidade de Palanteu, para fazer aliança com ele contra os rútulos, que querem expulsar os troianos do Lácio. O personagem é citado diversas vezes nos relatos de combates nos livros 10 e 11 do poema. A aliança entre os dois povos deu certo e eles acabam ganhando a guerra.

Tinia

Tinia ou Tin é o deus etrusco dos céus.

Similar a Zeus e Júpiter, comandava os trovões e relâmpagos e era um dos mais poderosos deuses da mitologia etrusca.

Vicare

Na mitologia grega, Ícaro (em grego, ἼκαροςÍkaros — em latim, Íkaros e em etrusco, Vicare) era o filho de Dédalo e é comumente conhecido pela sua tentativa de deixar Creta voando – tentativa frustrada em uma queda que culminou na sua morte.

Voltumna

Na mitologia etrusca, Voltumna ou Veltha[1] era a deidade ctônica para a terra, que se tornou [2] o deus supremo do panteão etrusco, o deus Etruriae princeps, de acordo com Varro.[3]O culto a Voltumna estava centrado em Volsini (atual Orvieto) uma polis da civilização etrusca no norte da Itália.

A união das vinte populi etruscas era renovada anualmente no grove sagrado do Fanum Voltumnae, o santuário de Voltumnus situado próximo a Volsinii (atual Bolsena), que foi mencionado por Tito Lívio.[4] No Fanum Voltumnae ludi eram segurados, a natureza exata disso, se atlética ou artística, é desconhecida.

No fórum romano, próximo ao templo de Castor e Pollux se situava um santuário dedicado a Voltumna na Vicus Tuscus.[5]

Era o equivalente ao deus romano Vertumnus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário