Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

3 de mai de 2011

Deusa Nete Bekü

Nete Bekü: a Mãe do Mato

Fonte: Deusas Brasileiras – Mavesper Cy Ceridwen (leitura imprescindível)

 

"Senhora do Verde, Senhora da Magia

Venha trazer sua sabedoria, com os elementais verdes

Abençoada seja, Senhora da Magia!"

Senhora do Verde, é a Deusa portadora da sabedoria do reino vegetal. Se conecta com Ela quando se precisa do poder de cura do verde ou quando se deseja obter sucesso nas plantações ou conhecimentos de herbologia. Invocar Nete Bekü, que superou a cegueira, para transpor os obstáculos que não deixam ver claramente. Deusa dos vegetais, Nete Bekü também é Senhora da Visão e Criadora, porque formou seu povo de uma cabaça e abelhas.

Mito

Nete Bekü era uma mulher cega. Houve uma inundação e alagou tudo, a água carregou também Nete Bekü, que não teve como escapar. Quando estava sendo arrastada, ela conseguiu subir em um tronco bem grosso e esperou as águas baixarem. Mas a terra continuava toda molhada e não havia onde andar. Sozinha, ela chorou muito, todos os seus parentes haviam morrido. Enquanto isso, juntavam muitas abelhas em volta da mulher. Ela achou duas cabaças, furou, botou as abelhas dentro e tapou. Depois de uma semana, ela espocou a cabaça e dela saíram dois meninos. Ela os amamentou, e eles foram crescendo. Um dia, acharam um pé de mudubim e trouxeram para a mãe, perguntando o que era. Ela disse que aquilo podia ser comido e devia ser plantado. Depois, trouxeram outra folha, e ela identificou a macaxeira. Depois, foi a vez do milho. E assim foi, até que ela transmitiu o que sabia sobre o uso dos vegetais aos Kaninawás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário