Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

2 de mai de 2011

Deusa Sheila Na Gig

Protetora dos humildes é uma divindade irlandesa.
Faça algo de coração hoje para os humildes.
Suas boas ações são a magia mais poderosa que pode realizar.
Antiga deusa do nascimento e da morte, a risonha Sheila Na Gig com as duas mãos segurando aberta a sua yoni, adornava muitos portais de igrejas até ser derrubada ou destruída pelos ofendidos...
Os celtas reverenciavam o poser sagrado dos órgãos genitais femininos, e usavam esculturas que o representavam como símbolo de proteção.
Aqui Shella Na gig é retratada com a face da Deusa anciã em toda a sua glória e sabedoria.
Ela é retratada como uma 'hag' (sinônimo de bruxa, mulher velha) com cabeça e vulva desproporcionais ao corpo cadavérico, seios pendentes e murchos, e face que ora é assustadora ou sofrida, ora é de uma vivacidade notável.
Shella seria um nome comum nas ilhas britânicas e também designaria mulher, dama ou senhora. o termo 'Gig' vem do nórdico e está relacionado à raça de gigantes (que, curiosamente habitou a Escócia de acordo com as lendas).
Shella, no entanto, não é apenas o nome de uma deusa, mas o nome de uma categoria de imagens muito presentes nas portas de inúmeras igrejas e castelos, em sua maioria nas ilhas britânicas, e também no continente europeu.
No contexto das górgonas ou figuras monstruosas que ficam às passagens, os estudos indicam que seu uso é para proteger contra a presença do mal ou assustar demônios.
Shella não é uma deusa que celebra a sexualidade enquanto ato ou sentimento, mas enquanto possibilidade de encarnar, de concretizar, de materializar (uma criança, uma mudança de vida, uma ideia).

Texto retirado do blog:anfibia.blogspot.com

Um comentário: