Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

20 de ago de 2011

Deus Marte

 

Em Roma comemorava-se Marte, o Deus da Guerra. Seu equivalente grego era Ares. Mas Marte possuía uma estatura moral bem maior do que seu correspondente grego.

Em Roma, por exemplo, Marte era venerado como um dos principais deuses. Chegou a ser chamado de Deus Nacional. Enquanto que na Grécia, Ares era considerado um Deus menor, fanfarrão e bruto.

Casado com Vênus, a Deusa do Amor e da Beleza, era também amante da vestal Ilia.

Possuía um escudo sagrado, caído dos céus e guardado no fórum de Roma pelo Papa. Os outros símbolos de Marte são uma lança, um pica-pau, um lobo e um touro.

Filho de Juno e de Júpiter, Marte era pai de Romulo e Remo, fundadores de Roma.

Conta o mito que Juno, irritada e com inveja por Minerva ter saído espontaneamente da cabeça de Júpiter, quis também produzir um filho sem a participação de seu marido ou de qualquer outro homem. Foi então para o Oriente com a intenção de encontrar os meios propícios para que isso acontecesse. Mas no caminho, já cansada resolveu sentar ao pé do templo da Deusa Flora. Esta Deusa ouvindo seu desejo lhe mostrou uma flor maravilhosa e a qual só com um simples contato fecundava qualquer mulher sem o auxílio de qualquer homem. E foi assim que Juno deu à luz, à Marte.

Marte era protetor dos campos e das colheitas. E o mês de Março era dedicado a ele e as terças-feiras também. No primeiro dia do mês, os edifícios eram decorados com coroas de louro.

fonte: Agenda Esotérica

Nenhum comentário:

Postar um comentário