Pesquisar neste blog

Carregando...

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

1 de dez de 2011

Catxerê - a Mulher Estrela

Esta é a história de Catxerê, a mulher estrela, que desceu do céu, dormiu com o índio e ensinou os Craó a plantar e preparar o milho, batata, inhame, mandioca e amendoim.

Foi assim:
O último rapaz solteiro da tribo dormia sozinho, sobre a sua esteira, no pátio da aldeia. Uma estrela o viu lá de cima, e, condoída, resolveu casar com ele. Para isso, transformou-se em um sapo e, pula que pula, subiu em seu peito. O dorminhoco acordou assustado e, com um tapa, atirou-o no chão. Mas então o sapo virou formosa mulher e dormiu com o jovem.
Pela manhã, a cunhantã diminuiu de tamanho. Ficou tão pequenininha que pediu ao noivo que a guardasse na cumbuca que estava pendurada no fumeiro. Durante o dia, o índio tirou a cumbuca de lugar, destampou-a e sorriu para a moça que lá estava encerrada.
Quando saiu para caçar, recomendou que ninguém mexesse naquilo, mas a irmã dele, cheia de curiosidade, abriu-o e descobriu lá dentro a minúscula mulher.
Ao voltar, examinou o nó tradicional da sua tribo e compreendeu que alguém havia violado seu segredo. Zangado, declarou que viveria com Catxerê, como marido e mulher. Arrumou as suas camas dentro de casa. À noite, ele tirou a moça da cumbuca e Catxerê cresceu, tornando-se alta e bonita. Pela manhã foram banhar-se juntos no rio, e ela viu uma árvore grande, cheia de espigas, que os periquitos beliscavam. Catxerê ensinou então, aos Craó como se planta, colhe e prepara o milho, assim como a mandioca, o inhame e o amendoim, que até então não eram conhecidos, pelos indígenas que alimentavam-se de pau puba.
Mandou o rapaz fazer uma roça. Ensinou-lhe a derrubar com o facão, a carpir, a plantar. Depois disse: “Agora volto ao céu, onde vivem meus parentes, e trarei mudas de batata, inhame, mandioca, amendoim, para plantar na roça”. Logo depois voltou. Tudo foi plantado e os índios adotaram para sempre as plantas ali cultivadas.
Uma noite, porém, quando o índio andava a caça, apareceram em sua casa cinco homens que, sabendo de sua ausência, violentaram a mulher-estrela. Depois deitaram-se à dormir. Ela aproveitou o seu sono e cuspiu na boca de todos eles, matando-os. Os Craó davam grande importância mágica ao cuspe. Quando o marido voltou, contou-lhe tudo e subiu para o céu. E nunca mais voltou....

Inúmeras são as Deusas-Estrelas por nós conhecidas na mitologia. Nossa brasileirinha deusa Catxerê é uma divindade estrelar que nos desperta a criatividade e nos ajuda a perder o medo das mudanças.

fonte do texto: http://seres-encantados.blogspot.com/2008/10/catxer-mulher-estrela.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário