Pesquisar neste blog

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

29 de jul de 2011

Oyá, a Iansâ.

 

Na África Ocidental comemora-se Oyá, a divindade iorubá que personifica a Força das Tempestades, dos Ventos e dos Relâmpagos.

Oyá, na língua iorubá, significa “quebrar, rasgar”, tal qual seus ventos fazem quando quebram a superfície da água.

Esta Deusa é uma guerreira protetora das mulheres que se envolvem em alguma disputa ou luta. Ela tanto pode ser construtiva quanto destrutiva.

Foi Oyá quem deu à Xangô, seu irmão e marido também, o poder do fogo e dos raios.

Também é conhecida como Senhora dos Mortos e sentinela dos cemitérios. Padroeira da justiça e da memória, preservando as tradições ancestrais. Diz-se que para controlar os desencarnados, chamados de Eguns, ela usa um espanador.
As oferendas que recebe são vinho de palmeira, inhames, feijão e carne de cabra.
No Brasil é chamada de Iansã.
Sempre que presenciar uma tempestade, lembre-se de Oyá. Visualize a Deusa e imagine o vento limpando a raiva, a avidez e a negatividade de sua vida. Invoque também seu fogo para ajudá-lo em algum obstáculo que tenha que enfrentar para alcançar seu objetivo.

fonte: Agenda Esotérica

Nenhum comentário:

Postar um comentário