Pesquisar neste blog

Carregando...

A principal fonte dos textos postados aqui é da Internet, meio de informação pública e muita coisa é publicada sem informações de Copyright, fonte, autor etc. Caso algum texto postado ou imagem não tenha sua devida informação ou indicação, será escrito (autoria desconhecida). Caso souberem, por favor, deixe um comentário indicando o ou no texto, ou caso reconheçam algum conteúdo protegido pelas leis de direitos autorais, por favor, avisar para que se possa retirá-lo do blog ou dar-lhe os devidos créditos. Se forem utilizar qualquer texto postado aqui, por favor, deem os devidos créditos aos seus autores. Obrigada!

Abençoados sejam todos!

20 de mar de 2012

Carga da Deusa de Outono

Imagem by ©Nicole Cadet

Eu Sou a lua decrescente,

A Deusa que se despede da terra.

Na Primavera, procurei o meu Senhor, e com ele me deitei sob as árvores e as estrelas.

Em Beltane, casei com o meu Senhor,

Debaixo dos primeiros ramos das acácias.

E no verão, Fiz amadurecer as maçãs nos pomares,

E os frutos cresceram redondos e fortes, como a semente no meu ventre.

Aquando da colheita do trigo,

Eu abati o meu Senhor para que, pela sua morte, o nosso povo possa ser alimentado.

E atualmente, em Outono, desço para o reino de baixo,

Para residir com o meu Senhor no seu sombrio reino,

Até que a nossa criança nasça.

No Solstício de Inverno, porei ao mundo a criança e reviverei a vossa esperança,

E em Imbolc estarei eu mesma de regresso, para renovar a terra.

Deixo-os mas retornarei para vocês.

Quando virem o meu poder diminuir, e as folhas das árvores cai;

Quando a neve apaga, como a morte, qualquer vestígio de mim sobre a Terra,

Então procurem-me na Lua, e lá nos céus vereis a minha alma,

Elevar-se devagar entre as estrelas.

E neste sombrio período, quando a Lua está coberta pelas sombras,

E que não há nenhum vestígio de mim no Céu ou sobre Terra;

Quando olharem para fora e que as vossas vidas pareçam frias, sombrias e estéreis;

Não permitem que o desespero corroa os vossos corações.

Porque quando estou escondida,

Apenas estou a renovar-me;

Quando declino, preparo-me para retornar.

Recordam a minha promessa e olhem no vosso interior,

Pois lá, encontrará o meu espírito, aguardando aqueles que me procuram;

Porque perto da fonte do vosso ser,

Eu sempre espero por vós.

Tripla eu sou;

Uma em Três;

O meu corpo a Terra, a minha alma a Lua,

E no interior do teu Ser mais profundo,

O espírito eterno,

O meu.

©Vivianne Crowley, traduzido e livremente adaptado por Brydea

fonte do texto e foto: http://murmuriosdasbrumas.blogspot.com.br/search/label/Mabon

Nenhum comentário:

Postar um comentário